ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


Leitos de UTI totalmente ocupados: municípios do extremo sul em estado gravíssimo

Saúde

há 19 dias


24/07/2020 08h19


Classificação gravíssima na região da Amesc amplia restrições. Prefeitos pretendem organizar um trabalho conjunto de conscientização sobre a prevenção à Covid-19

O Informativo de Atualização da Avaliação de Risco Potencial, datado de 21 de julho, emitido pelo COES (Central de Operações de Emergência em Saúde), da Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina, passa a enquadrar o extremo sul como área de risco potencial gravíssimo. Em videoconferência na manhã desta quinta-feira (23), os prefeitos da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) deliberaram sobre as recomendações emitidas na última sexta-feira (17) pelo CER AMESC (Comitê Extraordinário Regional Covid-19 AMESC), com o agravamento do novo dado repassado na quarta-feira (22) pelo COES. Até o momento da reunião ainda não estava homologado no Diário Oficial o enquadramento da região nas medidas estaduais.

A semana é marcada no extremo sul pela situação de emergência gravíssima registrada no último boletim divulgado pelo COES. Ocorre em virtude de questões como os mais de 1000 casos confirmados da Covid-19 nos 15 municípios, bem como a ocupação máxima dos leitos de UTI no Hospital Regional de Araranguá.

Em nome dos gestores municipais, o presidente da AMESC, prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva, explica que se mantém o consenso das medidas unificadas, sendo que a preocupação com as vidas faz com que os prefeitos busquem adequar seus decretos diante das medidas. “Vamos seguir as recomendações feitos pelos técnicos da CER, assim como este novo modelo de orientação dada pelo Governo do Estado para as áreas de risco gravíssimo. Vivemos duas crises simultâneas: uma crise na saúde que acarretou outra crise na economia. Acreditamos que trabalhar a prevenção minimize impactos dos dois lados. Vamos elaborar uma campanha regional voltada a prevenção e conscientização a fim de que se busque conter a contaminação ao se trabalhar os cuidados e se evite assim o fechamento dos comércios”, esclarece Ronaldo.

Ronaldo acrescenta que outra preocupação é fazer nova solicitação de leitos de UTI para o Governo do Estado. O embasamento técnico detalhará o pedido para que haja a instalação completa do leito, com equipamento e medicações necessárias ao atendimento dos pacientes. Neste momento se alguém entrar em risco grave terá sua saúde ainda mais comprometida pela falta de leitos na região e Santa Catarina se encontrar em situação alarmante.

Segundo o presidente, os dados apontam que tem sido preocupante a contaminação entre familiares e amigos durante os momentos de lazer. “Demanda muita consciência das pessoas e estamos vendo para enrijecer a fiscalização. Porque se fechar o comércio, ainda assim as pessoas realizam encontros com aglomero em casa ou saem passear e nesta hora descuidam das medidas e os casos aumentam. É preciso ter consciência”.

Entre as medidas de recomendações atuais do CER está a ênfase ao uso de máscara, evitar aglomeração e restrição dos horários de alguns estabelecimentos como bares e conveniências. Em âmbito estadual, homologado no Diário Oficial como área gravíssima, será preciso interromper algumas atividades como transporte coletivo.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Amesc

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande