ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 80,00

ANUAL R$ 150,00

(48) 3535-1256


Funcionários dos Correios relatam na Câmara os problemas enfrentados em Forquilhinha

Geral

há 30 dias


31/05/2022 12h37


Falta de efetivo e a centralização do serviço em outro município foram alguns dos motivos apontados pelos colaboradores.


Os funcionários dos Correios marcaram presença na sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, dia 30, para explicar os motivos dos atrasos na entrega de correspondências em Forquilhinha. Algumas localidades ficaram mais de três meses sem ver o carteiro realizando a distribuição. A falta de efetivo e a centralização do serviço em Içara foram alguns dos motivos apontados.


"Três carteiros ficavam direto no município, mas agora tudo fica centralizado em Içara. A pessoa sai de Forquilhinha e percorre 23 km para chegar lá, depois volta para começar a distribuição. No final, se desloca novamente para deixar o transporte em Içara e retorna para cá. Nessas idas e vindas, são duas horas de improdutividade", relata Hélio Samuel de Medeiros, secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect).


Apenas um carteiro faz a entrega nos bairros Santa Isabel, Santa Ana, Loteamento Horr, Centro, Clarissas, Santa Clara e Vila Lourdes. "Estamos com falta de efetivo, pois o último concurso público foi realizado em 2011. As correspondências só crescem e a mão de obra diminui", disse Medeiros, afirmando que a Distribuição Domiciliar Alternada (DDA) também prejudica. "Nesse sistema, o carteiro passa dia sim e outro não, sendo que antes era todos os dias. Se o carteiro ficar doente, o morador vai ficar mais tempo sem receber", acrescenta.
 


Na avaliação dos colaboradores, o Governo Federal tem culpa pela precariedade dos serviços e deixa da forma que está para entregar à privatização. "Querem extinguir os Correios, sem olhar os pais de família e o quanto fizemos por esse país. A privatização passou com folga na Câmara dos Deputados, mas conseguimos articular no Senado para segurar o projeto, provando que os Correios não dão prejuízo", declara o secretário de política sindical do Sintect, Manoel Augusto.
 


Em 2021, os Correios apresentaram um lucro de R$ 37 bilhões no Brasil. "De cada 10 varejistas, oito utilizam os nossos serviços. Nenhuma empresa privada possui a logística dos Correios. No período pandêmico, nossa categoria não saiu das ruas e contribuiu na distribuição das vacinas. Somos uma empresa pública grande e autossustentável, mas o governo não passa isso à população", lembra Medeiros. "Pedimos com muito carinho à sociedade, não xingue o carteiro. Ele não tem culpa dessa situação drástica que vivemos", comenta Augusto.
 


Os vereadores manifestaram solidariedade aos trabalhadores. "A vinda de vocês é um passo na mobilização. É uma empresa pública que precisamos manter e lutar para melhorar", disse o vereador Marcos Rocha Macedo (PDT). "Essa Casa tem o compromisso de continuar o debate. Vamos entrar em contato com a agência em Içara, Ministério Público e o Procon para diminuir a situação caótica que está o serviço dos Correios em Forquilhinha", finaliza o presidente Célio Elias (PT).
Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe esta notícia



Voltar


Utilizamos cookies para sua melhor experiência em nosso website. Ao continuar nesta navegação, consideramos que você aceita esta utilização.

Ok Política de Privacidade

Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande