ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


“Era um menino doce e muito apegado ao avô”

Geral

há 4 meses


25/03/2020 11h28 - Atualizado em 25/03/2020 11h38


“Era um menino doce e muito apegado ao avô” 

Essas são as palavras da mãe do menino Wendel Nagildo Silveira de apenas 3 anos e 7 meses que faleceu no último sábado. Segundo relatos de uma amiga da mãe do menino foi um acidente lamentável.

“Os dois irmãos estavam brincando na área da casa dos avós onde estava A janela estava na área escorada na parede e amarrada com um arame, Só que ela pesa mais de 80 kg, e como eles estavam brincando, ela balançou, arrebentou o arame e caiu em cima da cabecinha do menino. E o avô estava trabalhando na lavoura, cortando arroz junto com o pai do menino e o tio, e não como divulgaram dizendo que o avô estava trabalhando de carpintaria. Na hora que aconteceu o acidente o menino mais velho chamou pela mãe do menino e ela veio correndo tirou a janela de cima do mais novo e deu no colo da irmã dela, que é tia do menino, enquanto foi buscar o carro pra levar ele para o hospital, a mãe foi dirigindo e a tia com ele no colo. Foi tudo muito rápido, tanto o acidente quanto o socorro. O menino estava desacordado mas respirando e chegou com vida no hospital São Sebastião de Turvo, mas infelizmente não resistiu e meia hora depois mais ou menos anunciaram a morte” Explica a amiga.

Ainda segundo ela, a mãe do menino conta que assim que elas chegaram no hospital as enfermeiras já pegaram ele no colo e foram fazer os procedimentos. Foram muito eficientes e inclusive chamaram até médicos que não estavam de plantão, tentaram de tudo, mas infelizmente ele não resistiu. Mas mesmo assim ela gostaria de agradecer a cada um que ajudou a tentar salvar o menino.

Família está desolada

Naturais de Turvo, moradores da Vila São José, a família de agricultores está inconformada e claro muito triste com o que aconteceu. O sentimento de tristeza tomou conta da família, principalmente o pai e o avô do menino na qual ele era muito apegado.

“Ah ele era um menino muito querido por todos, sapeca que só ele, menino doce e apesar da pouca idade ele era muito respeitoso e sempre muito apegado com o avô. Vamos sentir muito a falta dele, vai ser nosso anjinho” relata a mãe emocionada.

Inclusive o irmão de 5 anos perguntou por ele, e os pais explicaram que o irmão tinha virado um anjinho, mas como é criança não entende a gravidade do que aconteceu. Os pais estão tomando muito cuidado, sempre por perto porque apesar de não entender bem, mas ele estava junto e viu tudo o que aconteceu.  

Velório e sepultamento restritos a família

Por conta da epidemia de COVID-19, o velório e sepultamento do menino foi restrito a família, porém eles receberam muitas mensagens de conforto via rede social. O copor foi sepultado no cemitério de Rodeio da Areia, interior de Turvo.  

Segundo a mãe do menino, as causas da morte foram parada cardiorrespiratória, hipovolemia, trauma e fratura craniana nos ossos da face.

Fonte: Mariane Rodrigues/Jornal Volta Grande

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande