ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


A VIDA TEM PRESSA - Colunista Rosane de Andrade

Colunistas

há 24 dias


20/07/2020 08h34


Infelizmente a Lei contra os Maus Tratos a Animais é muito branda e não vemos na cadeia os excomungados que abusam, maltratam e abandonam os bichinhos. Temos as redes sociais repletas de denúncias e os órgãos que deveriam nos socorrer pouco fazem. Aí cabe ao particular e aos 'delegados Bruno Lima da vida' agirem.

 

Este delegado é marcado em trezentas mil postagens e entra em contato com os delegados e protetores da região em que ocorreu o triste fato. Desta forma, as pessoas agem e punem (não como seria o ideal) os delinquentes.

E o desfile de abandono e maus tratos continua. Meus grupos de whatsapp e facebook estão repletos de pedidos de socorro e denúncias. Aí protetores independentes se viram em mil e conseguem ajudar, acumulando dívidas e animais.

 

Na TV dizem que com a pandemia as adoções aumentaram, mas os abandonos mais ainda. E agora com a proibição do transporte público voltando em minha cidade, mais abandonos. Os animais seguem os donos que vêm a pé ou de bicicleta ao Centro e depois não voltam. Coisa de dono descuidado, porque cachorro é pra ficar no cercado, em casa, seguro. E se é fujão, dê jeito, porque um dia não volta mais.

Cachorro é pra ser castrado, mesmo sendo macho. Eles correm atrás de fêmeas no cio, provocam acidentes, isto quando não são atropelados e NINGUÉM socorre, pois é compromisso, despesas... E as fêmeas??? Elas não querem ser mães! Povo chato que humaniza procriações. depois falam que eu humanizo os animais.

 

E aí que uma cachorrinha prenha ocupava minha cabeça e coração desde domingo. Saí com um amigo no domingo à noite para ver se a encontrávamos e... nada. Nas fotos e filmagens ela arrastava a barriguinha prestes a parir. E meu desespero aumentava, já que as noites têm sido terrivelmente frias.

Na terça, decidi encontrá-la com a ajuda de duas queridas amigas (Helen e Edsânia). Conseguimos! A cachorrinha arisca que 'dava baile' em todos que tentavam pegá-la, pariu e se deixou resgatar porque estava junto a seus sete filhotes (Deus nos ajudou). Sim, SETE, porque protetora que se presa tem que ter dívidas enormes. E TODAS fêmeas, acreditam?????

 

Peguei-os molhados e ainda sujos de sangue com uma toalha de banho limpa, que sempre carrego. Fiz um pacotinho de vida que chorava e logo se acalmou ao se sentirem aquecidos. Aí quem chorou fui eu, claro, choro sempre.

Hoje ela aguarda na pet pra ir pra um lar temporário. E, apenas um detalhe: teve mais um filhote no dia seguinte. Oito vidinhas que tem pressa de serem acolhidas em lares dignos, assim como a mãe.

Assim como ela, acredito que várias vaguem por aí, vítimas de uma humanidade que nem deveria ser chamada por tal nome.  Vítimas de descaso. Seres que só querem um pouco de carinho, comida e um cantinho pra descansar.

Fonte: Coisas de Mulherzinha, por Rosane de Andrade

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande