ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


MICRO-ONDAS É VIDA

Colunistas

174

há 24 dias


15/06/2020 14h31


Quem não concorda que atire a primeira pedra. Atire a primeira pedra quem nunca surtou quando a máquina de lavar estragou, a TV, a geladeira, o fogão...

Não é mais questão de luxo, mas necessidade e praticidade no dia a dia. E vamos nos apegando e percebemos que não havia vida antes da existência deles em nossos lares.

No dia em que a máquina de lavar veio a óbito, chorei, lamentei... nosso braço direito tinha sido extirpado, amputado... Porque lavar roupa a mão, torcer, principalmente quando se tem vários cachorros em casa que gostam de ficar em cobertinhas e tapetinhos atoalhados...Ninguém merece.

Com o tempo ficando úmido, lavar (e secar) roupa é uma arte. A secadora outro dia deu pau e também nos apavoramos. E, como aqui em casa ultimamente é tudo eu, senti-me como a Nazira (lá vem a novela O Clone de novo), e a 'camela' teve de sair com o dito nas costas pra buscar a assistência técnica.

E quando o microondas começou a falhar, o teclado digital não respondia nem com muita oração, lá foi a 'camela' resolver o problema procurando a assistência técnica e buscando compaixão pela necessidade e a dor de ficar sem ele. 

Chegamos à conclusão de que nem mais água sabemos esquentar sem ser no amado e idolatrado micro-ondas. O leite para o café ou fica frio ou queimando os beiços... nunca mais conseguimos acertar.

Pesquisei os preços na internet pra avaliar se o conserto seria mais em conta ou a troca por um novo. Porém, a marca que mais apreciamos e que realmente dá menos problemas está com um preço salgadinho. Comprar algo mais em conta de uma marca desconhecida talvez não renda os anos que este herói nos serviu.

Carregar o semi falecido no colo até o carro? Não, peguei o carrinho do prédio e o depositei carinhosamente dentro. Tirei-o da condução até a garagem como se fosse um bebê e o depositei amorosamente no banco de trás.

Quando cheguei à assistência, pedi ao rapaz que o buscasse e disse que ele era o meu braço esquerdo, porque o direito era a máquina de lavar (e que os outros eletro domésticos não leiam isto, porque se não vão começar a queimar por ciúme puro).

Confessei minha total inexperiência com o fogão, que só serve pra cozinhar mesmo, porque de resto, o pequeno e valente herói se encarrega.

Despedi-me dele com lágrimas nos olhos e disse que eu o buscaria em breve. Falei alto pro rapaz ouvir (comover-se) e agilizar o serviço.

Amanhã quando completaremos 13 anos que moramos aqui em Criciúma, o rebento doméstico voltará pro seu lar. E chega de queimar os dedos ao pegar a panela, a caneca que faz as vezes de quase tudo pra aquecer...

Amanhã será dia de duplo festejo... Claro que comemoro por estar morando aqui e gostar demais desta cidade...porém, o micro-ondas... ah, o micro-ondas...

Fonte: Coisas de Mulherzinha - Colunista Rosane de Andrade

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande