ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


Jacinto Machado comemora 62 anos de emancipação

Cidades

há 22 dias


23/07/2020 15h52


Jacinto Machado, uma cidade de interior, com belíssimas riquezas naturais e que completa hoje 62 anos de emancipação e constante desenvolvimento. Economia baseada na agricultura e grandes indústrias, a cidade também conta com um comércio próspero e desenvolvido. 

O poder de reconstrução do povo de Jacinto Machado

Os desastres naturais fazem parte da realidade da humanidade e com a população de Jacinto Machado não poderia ser diferente. Incêndios, enchentes, vendavais, furacões e ciclones já descarregaram suas forças sobre a cidade, porém este povo tão batalhador sempre teve o poder de reconstruir com força e muita Fé.

Em 1951 a cidade sofreu um grande incêndio. O fogo veio da Serra com labaredas que ultrapassavam 30 metros de altura. Logo depois alcançou a encosta que estava sucumbindo depois de meses de seca e de uma forte geada. As chamas foram alastradas pelo ar, com grandes fagulhas que se lançavam sobre residências. Muitas famílias da região tiveram que abandonar suas casas antes que fossem tomadas pelas chamas. Algumas buscaram refúgio dentro de açudes.

Em julho de 1983, a cidade foi assolada por um grande vendaval, afinal vendavais sempre foram constantes na região. Os minuanos chegavam a ultrapassar os 100 km/h. Por volta as 17h a tormenta chegou com muita força. Muitos perderam suas casas por conta do forte vento.

No dia 23 de dezembro de 1995, impiedosas chuvas formaram uma torrente negra causada pelo deslizamento das paredes dos canyons, a qual tomou vales inteiros e vançou por áreas onde nem mesmo havia começado a chover. Familias inteiras foram tomadas de surpresa. A maioria precisou subir no teto das casas ou correr a tempo para lugares altos, mas nem todas tiveram a mesma sorte. Pessoas apanhadas pela água salvaram-se agarradas a imensa quantidade de toras que flutuavam sobre o mar de lama, conseguindo resgate somente na manhã do dia seguinte. A catástrofe atingiu lavouras inteiras, um cenário triste de muita destruição. Foi o primeiro evento climático a causar mortes em Jacinto Machado. Nem mesmo a enchente de 1974, que atingiu todo o município e região foi tão cruel e violenta.

Em 2004, no dia 26 de março, a meteorologia já desenhava o anúncio de mais uma catástrofe, desta vez vinda do mar. O primeiro furacão registrado no atlântico Sul avançava em direção a Costa Catarinense. E foi no dia 28 de março que se confirmou e chegou a forte ventania prevista. Os ventos passaram de 100 km/h e só se acalmaram ao amanhecer. Grandes estragos também registrados em toda região.

Em 2020 foi a vez de um forte ciclone atingir a região, destruindo bananais, derrubando árvores e postes inteiros. Mais uma vez trazendo muita destruição.

Mas apesar do sofrimento diante de tantas catástrofes naturais, a força solidária da natureza humana Jacintomachadense reconstruiu a autoestima das vítimas. A população se mobilizou dia após dia, um sempre ajudando o outro para amenizar o sofrimento dos mais atingidos e restabelecer tudo aquilo que foi destruído.

 Por isso pode se dizer que o povo tem um poder muito grande de reconstrução, de pessoas que não desistem e que além da persistência tem uma Fé inabalável.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: jornal Volta Grande

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande