ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


Recolhimento de pilhas é ação constante entre os colaboradores da Cooperja

Cidades

156

há 1 mês


08/06/2020 12h31


A cada dia, a necessidade de equilíbrio entre meio ambiente e sociedade, fica mais evidente. Sendo assim, a semana do meio ambiente, especificamente no Dia Mundial (05/06), remete a reflexão sobre preservação e boas práticas ambientais. Neste sentido, a Cooperja destaca sua preocupação com atitudes simples, que podem modificar positivamente, comportamentos e atitudes.

A Cooperativa realiza constantemente, em todas as suas unidades, o recolhimento de pilhas. Foram instalados nas unidades, recipiente "papa pilhas", para descartar corretamente o material. O descarte pode ser efetuado, não apenas pelos colaboradores, mas por todos os associados e clientes da Cooperativa. "Aprovo esta iniciativa e participo, entregando minhas pilhas no Posto de Combustíveis. Sei que as Lojas Agropecuárias e os Supermercados também recebem. O importante é destinar corretamente esse material perigoso e tóxico, não só para nós seres humanos, mas para todo o ecossistema", afirma Alice Roecker.

A Cooperja destina corretamente o material, através de uma empresa especializada, que realiza o recolhimento de todo o volume recebido.

 

Malefícios da destinação incorreta

Uma pilha comum contém, geralmente, três metais pesados: zinco, chumbo e manganês. Além de substâncias perigosas como o cádmio, o cloreto de amônia e o negro de acetileno. A pilha alcalina contém também o mercúrio, uma das substâncias mais tóxicas que se conhece. O organismo pode absorver substâncias e contrair doenças como o câncer.

Na natureza, uma pilha pode levar séculos para se decompor. Porém, os metais pesados nunca se degradam. Em contato com a umidade, água, calor ou outras substâncias químicas, os componentes tóxicos vazam e contaminam tudo por onde passam: solo, água, plantas e animais.

 

Incentivo ao recolhimento de outros materiais

 

A Cooperja realiza várias outras atividades e ações de conscientização socioambiental, nos diversos segmentos dentro da sua área de atuação. Como: o recolhimento de tampinhas de garrafa PET (independente do tipo de embalagem), entre os seus colaboradores. O material recolhido é doado para entidades filantrópicas da região, que revertem em recursos financeiros, que por sua vez ajudam nos custos de manutenção desses locais. E, o recolhimento de embalagens de defensivos agrícolas, dos clientes associados, que são encaminhadas à Arasul, Associação parceira na destinação correta destes materiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande