ASSINE O JORNAL IMPRESSO

SEMESTRAL R$ 75,00

ANUAL R$ 135,00

(48) 3535-1256


Filho de agricultor resolve seguir na agricultura e busca especialização fora do País

Agro Noticias

há 20 dias


25/07/2020 09h00 - Atualizado em 24/07/2020 21h43


Muitos agricultores sonham em ter filhos e que os mesmos sigam dando continuidade na propriedade dos pais, trabalhando na agricultura. Porém nem todos realizam esse sonho. Mas Cícero Marcon Manenti, de 24 anos é um desses exemplos de filho que com muito orgulho resolveu seguir os passos do Pai, e ainda se especializar para valorizar ainda mais a agricultura.

 

Ele que mora em turvo, é filho de Arlindo Manenti e Margareth Marcon Manenti. Tem duas irmãs mais velhas Eloísa e Flávia, ambas apesar de interessadas nos negócios da família, optaram por seguir carreiras diferentes, sendo formadas em arquitetura e odontologia.

 

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Santa Catarina campus Florianópolis. Terminou a graduação em 2019 e colou grau em fevereiro de 2020.

 

Atualmente trabalha na agricultura, junto da família em turvo. “Tenho muito orgulho do que faço, sobretudo quando me dou conta de que estou dando continuidade a uma coisa que meus pais e meus avós batalharam anos para construir. É muito gratificante. Sempre tive apreço pela agricultura, cresci acompanhando meu pai e meu avô. As pessoas que mais me influenciaram foram meus pais, e que fizeram eu criar gosto e querer isso para a minha vida. Tenho meus pais como exemplo, sempre me ensinaram o certo e me apoiaram nas minhas escolhas” Conta o jovem agricultor.

 

Outros fatores decisivos para que ele quisesse continuar na atividade foram a liberdade e a autonomia que a agricultura proporciona.

 

Quanto os pontos positivos e negativos, o jovem destaca alguns. “A agricultura vem passando por várias transformações nos últimos anos, sobre tudo neste milênio onde tivemos mais acesso à informação e tecnologia. Hoje conseguimos atingir altas produtividades, utilizando sementes, fertilizantes e defensivos de alto desempenho. Temos acesso a assistência técnica qualificada, conseguindo realizar no campo o que as pesquisas nos aconselham. Não entanto, na medida em que o campo fica mais automatizado, os custos de produção aumentam e na minha opinião esse é o maior desafio que temos, como produzir mais com menos” completa Cícero.

 

Especialização fora do País

 

“Sabendo que queria dar continuidade aos negócios da família, depois de me formar resolvi por vontade própria buscar mais conhecimento e me especializar ainda mais na área. Então conversei com minha família e decidi que queria fazer um intercâmbio nos Estados Unidos. Tive a oportunidade de passar 5 meses junto da família McLain em sua fazenda de produção de arroz no estado da Lousiana. Estive acompanhando o ciclo completo da cultura do arroz durante o verão, bem como todos os manejos de seu desenvolvimento. Além do arroz também pude conhecer o “Crawfish”, uma espécie de crustáceo nativo de lá e que é possível cultivar na entressafra. O que torna-se uma boa fonte de renda após a colheita do arroz. Nesse período pude vivenciar uma cultura diferente da nossa, aprender outra língua e fazer vários amigos” conclui o jovem.

 

Agricultura e o papel fundamental na economia

 

 

“Acredito que muitas coisas mudaram com o tempo. Anos atrás as pessoas tinham o paradigma de que o agricultor era uma pessoa atrasada e que pela falta de oportunidade de estudo, era uma pessoa sem conhecimento. Hoje a realidade nos mostra muitas pessoas com formação superior retornando ao campo e muita informação em forma de tecnologia chegando nas propriedades. O agricultor vem ganhando respeito e valor à medida que as pessoas vão percebendo que o agronegócio é peça fundamental tanto na economia quanto na segurança alimentar do país” destaca.

 

Fonte: Mariane Rodrigues/Jornal Volta Grande

Compartilhe esta notícia



Voltar


Copyright 2019 - Todos os direitos reservados - Jornal Volta Grande